quinta-feira, 17 de novembro de 2016

acordar e à cor dar fora do tempo e do espaço...


o coração nunca está onde o pomos
e nunca o pomos onde estamos...

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

09/11: o silêncio do céu e a era das incertezas - Kali Yuga

Cemitério da Recoleta, Argentina. 

Quando as esperanças se esgotam e uma nova era de incertezas se instala no horizonte...

Ontem foi um dia ruim para o mundo... 
os astros prenunciavam um futuro de muitos arrependimentos...
Karma

o céu estava sombrio... 
o sol se escondeu nas nuvens, o vento não quis dançar, 
os pássaros não cantaram, as águas dos rios escorreram tímidas e até as pedras choraram...
nenhum anjo disse amém...
silêncio no céu

ontem não foi um bom dia para uma nova América renascer... 
foi o início do fim...

das eras
já era... 
era de Kali Yuga


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

da morte ao nascimento...



A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.

Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.

Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando... E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?
(na Internet, atribuído a Charlie Chaplin)

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

... não acredito em bruxas, mas que nós existimos, nós existimos...


Mexo, remexo na inquisição 
só quem já morreu na fogueira sabe o que é ser carvão 
eu sou pau pra toda obra, Deus dá asas à minha cobra 
minha força não é bruta, não sou freira nem sou puta 
nem toda feiticeira é corcunda, nem toda brasileira é bunda 
meu peito não é de silicone, sou mais macho que muito homem 
nem toda feiticeira é corcunda, nem toda brasileira é bunda 
meu peito não é de silicone, sou mais macho que muito homem 
ratatá...
sou rainha do meu tanque, sou Pagu indignada no palanque 
fama de porra-louca, tudo bem, minha mãe é Maria ninguém 
não sou atriz, modelo, dançarina 
meu buraco é mais em cima 
porque nem toda feiticeira é corcunda, nem toda brasileira é bunda 
meu peito não é de silicone, sou mais macho que muito homem 
nem toda feiticeira é corcunda, nem toda brasileira é bunda 
meu peito não é de silicone, sou mais macho que muito homem
ratatá...

(Pagu, Rita Lee)